Úlceras de pé diabético

A Organização Mundial de Saúde define o pé diabético como "A presença de úlceras, infecção e/ou gangrena da pele associada à neuropatia diabética e a diferentes graus de enfermidade vascular periférica, que resultam da interação complexa de diferentes factores induzidos por uma hiperglumecia constante".

Classificação do risco

A IDF (International Diabetes Federation) (2005) e o National Institute for Clinical Excellence do Reino Unido recomendam que todas as pessoas com diabetes se submentam a uma revisão visual anual dos pés na qual se deve incluir a avaliação da sensibilidade do paciente (neuropatía), do fluxo sanguíneo e de outros factores de risco, como a deformação dos pés ou o aparecimento de calos (pele dura). Após a revisão, cada paciente deve perceber a que categoria de risco pertence, o que o ajudará a perceber que tratamento deve seguir. Faça click no link para ver um exemplo da classificação de risco.
http://www.diabetesinscotland.org.uk/Publications/traffic%20light%20finalx3.pdf

Factores de risco

O desenvolvimento das úlceras está relacionado com os seguintes factores de risco:

  • Fumar
  • Álcool
  • Alimentação inapropriada
  • Obesidade
  • Vida sedentária
  • Mobilidade limitada para revisar os pés
  • Ter mais de 60 anos

Informação=Prevenção

A informação dada ao paciente deve consistir em mensagens-chave simples:

  • Inspecção visual diária ou com maior frequência dos pés e sapatos.
  • Comprovar os sinais de danos nos pés, como cortes, chagas abertas, alterações de cor, inchaços e calor.
  • Consultar imediatamente um médico se observar qualquer dos sintomas anteriormente descritos.
  • Aconselhar sobre o calçado apropriado.
  • Não caminhar nunca sem calçado.
  • Não utilizar nunca sacos de água quente ou mantas eléctricas para aquecer os pés.
  • Não mexer em unhas encarnadas ou calos. Visitar um podólogo.
  • Lavar cuidadosamente os pés diariamente com água e sabão. Hidratar depois com um creme emoliente (Epaderm Cream ou Epaderm Ointment).

 

Partilhe